quinta-feira, 11 de agosto de 2016

A sabotagem da auto-estima

''Sociedade: soc grupo humano que habita em certo período de tempo e espaço, seguindo um padrão comum; coletividade''

O conceito de sociedade é esse aí, reparem que coletividade está no meio da explicação tanto quanto 'padrão comum'. Acontece que comum acabou virando conceito de bonito e aí é que a gente se perde. 

Comum não é e nem deveria ser sinônimo de bonito, sabe? O problema é que uma grande maioria da nossa sociedade se conforma em se encaixar em vários tipos de padrões, e daí quem fica de fora acaba sendo excluído.
Não é nenhuma novidade, de que o padrão de beleza norte-americano acabou se tornando popular em todo o mundo com a globalização, o combo ‘loiro/magro/branco’ durou um bom tempo, e quem não se encaixava sofria horrores pra mudar e fazer parte desse balaio. Não há dúvidas que há uma beleza sim nesse padrão, mas sejamos claros, esse padrão é meio irreal pra maioria da população sul americana, e até de quem mora lá. Mas, é muito importante que tenhamos em mente que 'padrão de beleza' muda, sempre. Lá no começo, as Deusas eram pintadas como mulheres cheias de curvas, com barriguinha e dobrinhas pelo corpo, então enlouquecer por tentar ser magra e alta não é saudável, nenhum pouco. 

Por experiência própria eu sei que a gente se sabota o tempo inteiro, eu tive uma fase muito longa em que toda vez que eu olhava uma moça na rua eu me comparava a ela imediatamente, imagina só que neura! A cada pessoa na rua eu via algo melhor que em mim ‘ah aquele cabelo bem mais liso, aquela cintura bem mais fina, aquele sorriso bem mais bonito...’, e isso era involuntário, sério!
Isso é muito comum pra mulheres, e isso começa cedo. Logo que começamos a entender que ser bonito gera mais atenção, aquilo já vai ficando gravado e a gente vai tomando isso pra vida.  O que deveria estar em nossa mente é que: o que importa é a nossa felicidade e nosso bem estar. O esforço pra estar saudável é importante sim, mas a busca pelo corpo perfeito é maluca e problemática.

De um tempo pra cá eu tenho tentado achar beleza em mim sim, eu mereço me achar linda do meu jeito. É claro que tenho tomado várias atitudes bobas, como hidratar a pele, pentear os cabelos, tenho comido melhor, sabe eu tenho me cuidado mais e isso tem se tornado evidente, e não tô fazendo pra ninguém a não ser pra mim.

O que quero passar com todo esse texto é que não existe um padrão de beleza não, a sua beleza é única e você tem que ser a primeira a saber disso.

Um choque grande que levei esses dias foi o seguinte: Eu sempre me preocupo em sair bagunçada na rua imaginando o que vão pensar de mim ou do meu cabelo, até que um dia eu no ônibus olhei uma moça muito linda na rua, e fiquei observando como todo mundo olhava pra ela, e aí ela sumiu, e aí acabou. Pronto, acabou! Ela foi embora e a vida continuou, ninguém mudou em nada sua rotina por uma moça bonita passando. É isso. É aqui que a gente fala ‘EURECA’! Ninguém se importa com seu chinelo com meias, ninguém liga pra seu cabelo bagunçado... Não precisamos ficar neuróticas ao sair na rua imaginando como vão nos ver e o que vão pensar. É por isso que só  o quem tem que achar seu tipo de beleza é você, quem não te conhece não te importa e quem te conhece com toda certeza te acha linda, e é isso.

Então vamos para com a sabotagem da auto-estima, por que o importante é estar bem. É importante se achar bonita sim. É normal, não é pecado. Um segredinho pra vocês: não tem nada mais lindo que olhar no espelho e se achar linda. Isso muda o psicológico, muda o humor, muda a visão dentro de um possível relacionamento, é necessário e você ( e eu) merece. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário