terça-feira, 21 de julho de 2015

Migalhas de amor.

         

             Batalha de egos. É assim que o mundo gira hoje, pelo menos é assim que tudo parece. Hoje em dia, passamos mais de 50% do nosso tempo conectados, postamos fotos, opiniões, vigiamos amigos, fofocamos sobre os não tão amigos, ficamos felizes por uns, agradecemos por ter tudo tão fácil. Podemos acompanhar tragédias do outro lado do mundo instantaneamente, podemos assistir shows sem estar fisicamente presente, viajamos sem sair da cadeira, criamos laços com pessoas que nunca vamos encontrar, aprendemos novas línguas, descobrimos novas bandas, temos toda a facilidade do mundo, e é aí que tudo sai de controle.
               É muito fácil descobrir pessoas que tem algo em comum com você, procure a hashtag (#) principal e veja o que estão falando sobre, daí pra conhecer alguém e se interessar é um pulo. A pessoa não precisa te conhecer, nem morar perto, basta ter um gosto em comum e todo o caminho ganha luzes. Quando você percebe um pequeno interesse do outro lado, cai num buraco sem fundo. A paixãozinha te domina, e você está sempre munido de várias desculpas "Não conheço ninguém que escuta essa banda aqui na minha rua, ninguém nunca assistiu esse filme aqui na minha cidade, ninguém nunca falou comigo desse jeito." e pronto, você se jogou num relacionamento de corpo e alma, sem ao menos saber o que o outro acha de verdade. Não existe mais o "tete a tete", o falar na cara. As declarações de amor vem por mensagens de whatsapp e marcações no facebook. Não existe mais aquela coisa gostosa de ouvir o outro sorrir, tudo vem por "kkkkk", e mesmo que você ouça os áudios que ele te envia, o sorriso mais bonito, aquele com olhar, não chega.
              Falando assim parece que eu sou totalmente retrógrada e que sou contra romances virtuais, ou que os que começam pela internet e vão além disso, mas muito pelo contrário, eu não sou. Eu sou meio contra essa geração que não vive seu momento, essa geração que tem tudo muito fácil, que não quer passar pelas várias fases da vida, que acha que tudo se resume a: mendigar curtidas numa rede social qualquer. Pra essa geração, qualquer coração digitado é amor, qualquer eu te amo é verdeiro, tem tantos seguidores no twitter mais a carência por um amigo de verdade só aumenta, e daí que eu falo sobre migalhas de amor, porque tem toda uma vida baseada em aceitar qualquer palavra como amor e acalento, pra no final se se jogar num poço sem fundo.
             Com o aumento da tecnologia aumentou a solidão, a depressão é algo muito mais comum. O stress come muitas pessoas por dentro, tem tanta gente morrendo por isso que me dói pensar. Não sabem apreciar a tecnologia nova. Um exemplo auto-explicativo é o Japão, tanta gente e tão pouco contato. Não existe amor, pessoas passam pela vida sem viver, sem saber o que é existir.  
             Eu tenho meus defeitos, eu também espero curtidas naquela foto legal, eu quero que pessoas leiam minha opinião sobre coisas, minha visão do mundo, não há mal em manter-se conectador ao mundo, o mal mesmo está em se desconectar da vida fora da internet. Se perder no live action, não ter quem secar suas lágrimas no dia-a-dia, se distanciar da própria família, não querer contato e se esconder atras do seu celular pra sempre.    
             Desejo mesmo que haja uma explosão de realidade no mundo, e que as pessoas sejam mais humanas e menos robôs. Que deixem os likes nas redes sociais e saim na rua pra ver a natureza, que usem a internet pra se divertir e não pra se auto boicotar, precisamos abrir os olhos e entender que temos uma vida só, e ela não acontece apenas na internet, tem um mundo lá fora cheio de alegria pra nos dar.
             Uma conselho meu é: a vida te dá muitas rasteiras, mas é preciso cair, aprender a levantar, ficar mais forte e enfrentar as próximas quedas. No amor é assim, aquele eu te amo falso pode ter sido porque você não esperou o momento certo, ou pode ter sido por que a pessoa que te iludiu era só uma maldito sem coração. Não cai na conversa de qualquer um, não aceite pouco, você merece muito, não se contente com migalhas, nem de amor, nem de nada. Você merece mais e pode doar mais, aprenda que nada é por acaso e tudo pode piorar assim como tudo pode&vai melhorar.



 ( Este texto pode não tem sentido nenhum, pode não ter rima ou um fluxo legal, mas é o que estava passando pela minha cabeça no momento.)









Nenhum comentário:

Postar um comentário