terça-feira, 25 de maio de 2010

Para as meninas que queriam ser bailarinas...




As meninas gostavam de sonhar. Elas sonhavam e cantavam até ficar roucas. Faziam piadas aliviando as lágrimas. Riam desvairadamente.
Acontece que elas queriam ter sido bailarinas. Equilibrar tudo nas pontas dos pés. Ter a graça de uma ave prestes a alçar vôo. Sim, elas queriam voar dançando. Queriam fazer do vestido cor-de-rosa suas asas.

O ruim foi que elas, nem de longe, estiveram prestes a realizar tudo isso. Os corações eram jovens demais, cheios de vontade a serem satisfeitas. Pior é que não deu.

As meninas que queriam ser bailarinas nunca freqüentaram a escola de dança. Cresceram e guardaram o sonho na gaveta.
Quis a vida que elas se encontrassem. E transformam tudo em uma grande alegria.
As meninas que queriam ser bailarinas nunca ficaram na pontinha dos pés. Mas elas estão sempre equilibradas na corda bamba da vida. Tarefa difícil; só quem tem coragem de se arriscar é que permanece firme em cima dela. As meninas sabem o significado do “cativa-me” e aprenderam com um principezinho habitante daquele livro especial.
As meninas sabem que amigos são para a vida toda, mesmo que “a vida toda” possa significar “na minha memória, para sempre”. Elas sabem que, a cada amizade feita, seus mundos particulares tornam-se mais ricos. De sentimentos, claro.
As meninas compartilham suas estórias. Compartilham das miudezas que acontecem no cotidiano. Elas pensam nos que estão longe e cantam “how I wish, how I wish you were here”. Quase como uma reza."

(Laís de Ponte, do blog:
http://leisdalais.blogspot.com/ )

Nenhum comentário:

Postar um comentário