segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Desabafo

*Caso não goste uma visão um pouco cansada e pessimista, gentileza não ler este desabafo.*

O ano de 2014 foi complicado pra mim, mas definitivamente houveram pequenas vitórias, por exemplo: no ano passado consegui um emprego, saí da casa da minha mãe, e mesmo depois de passar por alguns lugares ruins, consegui me mudar pra uma casa melhor.

Agora, sobre o ano de 2015, com certeza foi o pior e mais conturbado ano que já vivi. E olha que já passei por anos com parentes alcoólatras, já passei por decepções na vida espiritual, já passei pela separação dos meus pais, namorado extremamente ciumento e possessivo, e até meningite, mas nada disso me abalou tanto quanto esse ano.

Este ano eu fiquei mais sem dinheiro que nunca, meu salário mal dando pra pagar o aluguel e as contas fixas, felizmente meu namorado me ajudou como pôde, e também tive ajuda da minha mãe, se não fossem eles eu nem sei o que seria. Meu lado orgulhoso foi ferozmente pisoteado, pois havia semanas que nem havia o que comermos, e isso não é exagero. Além da precariedade financeira, foi um ano em que não tive tanto contato com a natureza, em um ano com 12 meses, no máximo 30 dias passei em contato com o verde e o  natural e isso me deixou muito fraca psicologicamente.

Esse ano, fora essas 40 postagens do blog, nada de muito bom aconteceu. Não fiz viagens longas, conheci pouquíssima gente nova e sofri bastante de saudade e falta de amigos pra conversar. É claro que sei que isso é culpa minha, por não saber puxar assunto e conversar com pessoas diferentes, mas isso foi só me empurrando pra essa tristeza chata que me acompanha. Até meus amigos de longe parece que ficaram de saco cheio por eu estar morando longe, e por estar me dando tão mal na vida, pois conforme o tempo foi passando, já não tinha retorno sobre meus problemas e eu mesma fui deixando de contar as coisas, afinal não valia a pena, ninguém poderia resolver nada e parecia que eu estava querendo atenção, quando na verdade, estava afundando sozinha num poço de problemas.

2015 também foi o ano em que mais fiquei mal da saúde. Fiquei gripada umas 8 vezes, meu estômago definitivamente está esculhambado, os anticoncepcionais que tentei tomar só pioraram minha saúde, engordei 20 quilos, e pra acabar com tudo, fiquei uma semana sem poder andar por causa de um maldito cisco inflamado no cocxi, cujo qual só descobri o que era após ir 3 vezes em dois hospitais diferentes. ( lembrando que essa foi a pior dor da minha vida.) Além de tudo, nesses últimos meses até andar é um caos, provavelmente um problema circulatório, mas ainda não fui ao médico, já que no posto de saúde não têm médico, e na upa só se eu chegar sangrando.Enfim, a saúde não foi um problema só pra mim, minha irmã ficou com anemia forte, e minha mãe teve momentos muito difíceis, os médicos nos assustaram dizendo que podia ser câncer... A minha vovó também teve que fazer uma cirurgia para retirar um tumor dos ovários de, acreditem vocês: 2 quilos. E por último, meu avô por parte de mãe teve uma doença comumente chamada de “fogo selvagem”, e nessa acabou perdendo a visão.

Pode-se perceber que não é exagero quando eu digo que este foi um péssimo ano, e eu não consigo mais ser grata no estilo de “pelo menos fulano tá numa situação pior”, eu não consigo me reconfortar só por saber que alguém está em situação pior e mais complicada, isso com certeza pode ser um defeito, mas é algo que eu não consigo melhorar.

Eu tenho me sentido muito mal ultimamente, mas não comentei com nenhum dos meus amigos, nem namorado, nem mãe nem ninguém, porque pra mim não vale a pena, desde que minha irmã voltou pra Brasília tenho ficado bastante sozinha em casa, e isso tem me feito pensar de mais. Minha saúde só piora, e eu tenho tido umas crises assustadoras de ansiedade, isso quando não estou dormindo. Quando estou no serviço, acabo “sugando” muita energia negativa, aqui tem muita gente nervosa e estressada, e estou me acostumando a ficar assim, mas no fundo eu não consigo, e aí fico nessa dualidade de humor que deixa meu corpo em frangalhos.

Não tenho postado muito por não ter ânimo, e o que mais me deixa chocada, é que ninguém percebeu esse meu estado psicológico acabado, o que me leva a pensar que já tem tanto tempo que venho agido de maneira desleixada, que é esperado de mim o mais triste e ruim estado possível.
Eu não sei nem o que fazer, tenho muitos planos pro ano que vem, mas o principal que tinha em mente não vai acontecer, talvez seja isso que tem me deixado pior. E sentada aqui, desabafando numa página da internet eu percebo o quanto o colo de um amigo faz falta, guardar tanta coisa pra mim vai acabar me matando, e eu tenho muito medo disso.

Enfim, depois de um ano tão cheio de problemas assim, eu sinceramente espero que o próximo ano venha com mais calma, porque quando tanta coisa ruim acontece com uma pessoa só, ela não tem tempo de parar e analisar“qual a lição para se tirar disso”, a única coisa que resta é a cicatriz daquela pancada, e por serem muitas, acaba faltando lugar. Têm um tipo de gente que fala coisas do tipo “ felicidade é só questão de correr atrás”, e sabe de uma coisa? Não é não. No mundo há inúmeros fatores que você não controla, como por exemplo, um cisto inflamado no bumbum, ou uma peça de carro que quebra do nada, ou uma alergia inesperada, ou mesmo uma tristeza enraizada.

Desculpa por este desabafo triste e cheio de rancor, eu senti que pelo menos aqui eu poderia falar o que eu quisesse, sem que alguém viesse dizendo que eu só sei reclamar e que e pra esperar que isso passa ...

2 comentários:

  1. Queria ter lido este post assim que você escreveu. Mas eu estava afastada também enfrentando uns momentos de tristeza. Agora estou como sempre levantando. Uma coisa que aprendi é que a gente tem que ter paciência nesses momentos, e não sermos críticos com nossa própria tristeza. Espero de coração que as coisas comecem a melhorar.
    Ter alguém em situação pior que a nossa não é mesmo consolo. A não ser que você seja amigo dessa pessoa e ela esteja enfrentando tudo com sabedoria e sirva de inspiração.
    Cuide de sua saúde em primeiro lugar, vai precisar dela pra fazer todas as outras coisas.
    Sei que as vezes ter um amigo faz falta mesmo. Apesar de ser só uma pessoa aqui do mundo virtual, se quiser entrar em contato comigo pra desabafar nesses momentos, manda um e-mail pra mim, que eu te envio meu número de Whatsapp. O e-mail que eu mais uso, que é meu pessoal mesmo, é pri_tj@hotmail.com
    Eu entendo tudo que você disse. Mas não desista. A vida é assim, altos e baixos... desde que você não se entregue.
    Beijinhos! E tudo de bom!

    ResponderExcluir
  2. Oi Pri, muito muito obrigada por sua atenção e carinho. Realmente eu preciso treinar muito minha paciência, às vezes por falta dela eu acabo tomando atitudes que me prejudicam com o passar do temo, é complicado. Pode aguardar que já te mando um e-mail, se tem uma coisa que não deixo pra lá é a oportunidade de fazer novos amigos. Obrigada por se importar, e tudo de melhor pra você esse ano ! <3

    ResponderExcluir