quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Janeiro e as mudanças que a vida nos trás

Oi vocês,                    



               Desde o começo do ano a minha vida tem tomado um rumo totalmente diferente do que eu imaginava. Algumas coisas tem se acertado, e eu até não quero falar muito sobre isso, porque sabe né? Não quero que as coisas voltem a ser como estavam antes, por isso, vou só fazer uma listinha de coisas que estavam na minha nas metas (e o que não estava) há muito tempo e consegui resolver. Só pra que no final do ano eu lembre que janeiro, apesar de duas crises horrorosas, foi o melhor mês em muitos anos.

                Além de tudo ter sido muito feliz esse mês, descobri que não falar pra ninguém que está feliz é melhor coisa possível. A energia que se dá é aquela que se recebe, e eu tenho provado isso de uma forma muito feliz.


Minha mais nova paixão, ilustrações de baleias. 


                     
                     Esse mês eu:

  • Tirei 820 na redação do enem! (Pra mim é muito importante, eu nunca imaginei que poderia tirar uma nota boa em qualquer coisa, sabe? Aquela coisa interior sempre dizendo que sou meio burra está morrendo.)
  • Resolvi várias das minhas pendências documentais, coisas que só deixavam claro que mesmo adulta ainda estava meio irresponsável.
  • Conheci novas pessoas, e consegui manter uma conversa agradável sem me sentir um lixo 100% do tempo.
  • Descobri que gastar dinheiro com coisas boas pra mim não é crime! (Jura Tereza, era óbvio né?!)
  • Ganhei um computador!
  • Meu guarda-roupas foi instalado!!!!!
  • Me apaixonei por aqueles difusores de cheiro e percebi que eles me acalmam bastante. 
  • Comprei facas novas. Canivetes na verdade.
  • Teve uma mini festinha na minha casa.

        Parece bobagem, mas ter depois de ter a autoestima quebrada, é preciso um processo longo e dolorido pra poder se aceitar. Até perceber que a vida não é tão marrom e sem cor, demora. E até lá as crises machucam muito, tanto psicologicamente como fisicamente. a insegurança é algo que ainda perturba demais, mas só de saber que consigo me olhar e perceber as mudanças boas que aconteceram é incrível.
        Ter a minha casa, os meus móveis, a minha cama. Poder trabalhar, e ir num barzinho com quem eu gosto sorrir depois, chegar em casa e ter meus gatos e minha irmã me esperando tem sido especial demais.  Fora que ainda percebi que consegui uma vaga numa instituição de ensino pública, sabe? É incrível perceber que os meus defeitos não me definem. Faz muito bem.
        É um exercício diário, se dedicar e tentar ser feliz. Aproveitar cada momento bom da vida, mesmo que seja só tomar uma cerveja numa segunda-feira, ir a um parque no meio da semana,  ver uma nuvem engraçada, agradecer o frio na madrugada, comer uma comida bem temperada. Se a gente conseguir somar pequenas felicidades, a vida às vezes fica mais leve.




Nenhum comentário:

Postar um comentário